intolerância à lactose

O que é a Intolerância a lactose?

Intolerância a lactose é quando seu organismo rejeita o açúcar (lactose) isso acontece porque há falta da enzima digestiva, denominada de lactase, isso provoca diarreias, e dores de barriga insuportáveis.

A intolerância a lactose acontece:

  • 1- Pela falta da enzima lactase;
  • 2- Em crianças pequenas, elas não conseguem engordar;
  • 3- Em pessoas adultas, a barriga estufa, com gases causando ânsia de vômito;
  • 4- Para tratar basta evitar os alimentos com lactose;
  • 5- Para diagnosticar, é só fazer uso de alimentos com lactose ou fazer um exame de intolerância, normalmente requisitado pelo endocrinologista.

Como a Lactase quebra a lactose?

Intolerância a lactose e lactase
 Intolerância a lactose processo

A lactose nada mais é que um tipo de açúcar, que se encontra dentro dos alimentos que tem o leite assim como alguma substância derivada, alguns pessoas já nascem intolerantes porém o mais comum é que elas adquiram a intolerância a lactose na vida adulta, simplesmente o ser humano já adulto, pode deixar de produzir a lactase essa enzima tem a função de separar a lactose em dois tipos de açucares a qual ela é composta, uma é a (glicose) e a outra parte é a galactose porque dessa forma fica mais simples do intestino digerir e indo diretamente para o sangue do paciente, ou seja sem lactase, fica impossível absorver e digerir a lactose  porque ela entrar no intestino inteira, sem a separação das duas, provoca-se  a diarreia, a lactose chegando ao intestino grosso forma mais bactérias fermentadas o que causa muito gases, inchaço da barriga e muita dor de barriga.

Quando um criança ainda está de colo a natureza normalmente se encarrega de gerar um nível de enzima (lactase), muito maior que nos adultos, isso acontece para que a criança consiga digerir todo o leite materno, mais ou menos com uns 6 meses de vida a produção de enzima começa a reduzir naturalmente, fase que a criança já pode ser desmamada, estudos mostram que 80 % da população mundial, sofre de uma certa intolerância a lactose.

Quando que a intolerância a lactose é temporária?

A intolerância que aparece do nada se dar quando algum tipo de infecção intestinal, ocorre no paciente, mas o médico garante que assim que o paciente cura isso, ele consegue sim deixar de ser intolerante, o organismo pode começar a rejeitar outros tipos de açucares também, porém o mais comum é a lactose, se um paciente tem alergia ao leite produzido pela vaca não é a mesma coisa que intolerância a lactose, pois ele vai ter alergia também das proteínas e não somente aos açucares.

Quanto posso consumir, já que sou intolerante a lactose?

Normalmente uma pessoa intolerante a lactose assim que consome o alimento ela já sente os sintomas, e ai começam a evitar os alimentos derivados do leite intuitivamente, essas doses sempre são em média de 400 mililitros por pessoa, nas crianças pequeninas ocorre logo uma diarreia, então a mãe já cancela o alimento, os barulhos da barriga são tão altos que ouvisse só de chegar perto, com menos de 30 minutos após a ingestão de lactose os adultos podem passar mal, isso é prejudicial, porque o ser humano, não só defeca o açúcar mas também todas a vitaminas e proteínas boas de tudo que ele tenha ingerido anteriormente, o que provoca várias transtornos, como fraqueza, emagrecimento, palidez, falta de apetite, cansaço crônico, causando outras doenças mais graves e infecções que se não observadas, podem levar a morte até por desnutrição.

Sintomas da Intolerância a lactose e exames:

entenda a intolerância a lactoseOutros sintomas comum nos alérgicos a lactose:

  1. alergia na pele
  2. coceira com uma vermelhidão,
  3. gargante que fecha parecendo uma amigdalite mas não é,
  4. refluxo e alguns,
  5. náusea,
  6. inchaço,
  7. irritação intestinal,
  8. diarreia,
  9. gases outros mais.

Os médicos normalmente estão passando uma dieta para verificar se o paciente é realmente alérgico, o médico simplesmente suspende tudo que tem lactose, se em 3 semanas o mal estar desaparecer, pode-se entender que é alergia, em seguida ele manda consumir derivados do leite, lactose se o paciente passar mal é comprovado.

As vezes é feito outro exame, intitulado, como exame para intolerantes, nesse o médico mede os níveis de açúcar (lactose) no sangue, a cada meia hora ele verifica, se não houver a quebra do elemento, meia hora após a ingestão é porque realmente o paciente é alérgico, ou se houver uma quebra baixar, ele apresenta uma pequena intolerância, mas tem.

Outra forma ainda muito usual é o exame do hidrogênio expirado, nele o paciente é submetido a ingestão de uma quantia de laticínios, e após um período que pode variar de 5 a 4 horas, o paciente expira para que seja medida a quantidade do gás hidrogênio em uma respiração, em pacientes alérgicos os níveis de gás hidrogênio é bem mais alto isso acontece porque as bactérias aumentam muito, aumentando também a produção de gás hidrogênio, mais um transtorno que o intolerante sofre.

Após descobrir a intolerância a lactose, o paciente deve mudar o estilo de vida dele, muda-se a dieta, para outra com restrição de alimentos sem lactose, hoje temos várias opções no mercado, enquanto isso deve-se suplementar a alimentação com capsulas de cálcio, as enzimas de lactase, também devem ser ingeridas, são vendidas sem receitas médicas e podem ser encontradas com facilidade nas farmácias.

Sugestões de alimentos para quem tem Intolerância a lactose

Essa dieta deve conter cálcio, pois essa é a principal fonte mineral que ajudam a manter os ossos fortes, como os dentes e até alguns músculos, quase não se pode ingerir leite que é a fonte principal de cálcio mas também de lactose, pode-se usar como alternativa:

  • Sardinha, repolho, couve, gergelim, espinafre, grão de bico e etc.
  • A dieta deve conter ainda fósforo, muitíssimo importante, para a boa formação dos dentes e ossos, encontramos fosforo nos seguintes elementos:
  • Ovos, soja, feijão e carnes, lentilhas, castanhas do pára.
  • Precisamos ainda de potássio, que auxila no bom funcionamento dos órgãos, das células, ainda contrair e relaxa músculos, este você encontra em elementos simples do nosso dia a dia, como:
  • Banana, beterraba, abacate, salmão e abacate,
  • Para uma tabela que melhor se adeque ao seu peso e medidas é mais útil consultar um nutricionista.

Suplementação com lactase

lactase é um tipo de enzima usada pelos intolerantes, como forma de suplementar, ela não propicia a cura a intolerância a lactose, mas ajuda para que o intolerante possa ingerir a lactose sem passar mal, ou seja ela só auxilia no momento em que for ingerida, para saber a quantidade necessária, consulte um médico, porque ele vai lhe indicar, cada pessoa possui uma certa quantidade de resistência, e as medidas de ingestão da enzima varia.

A enzima deve ser ingerida, antes de consumir o alimento, garantindo assim que seu funcionamento será mais pontual e eficaz, se o paciente tomar uma dose muito baixar pode não surtir efeitos, podendo ter as mesmas reações, não é aconselhável que os bebês tomem essas enzimas, somente para crianças acima de 5 anos diz a prescrição da bula, no caso de uma criança até 5 anos é mais comum então, leites zero lactose, assim como outras opções de alimentos também zero, no caso de bebe que ainda mama, existem os leites zero que devem ser orientados pelo pediatra com o maior cuidado a suplementação alimentar do bebe com o alimento correto e fundamental para o bom desenvolvimento do individuo.

Os vários tipos de enzimas

Atualmente podemos encontrar diversos tipos de enzimas lactase, para que a absorção seja a mais rápida possível, temos enzimas de lactase, em pó, em saches, comprimidos.
Obviamente que uma capsula com maior preço, terá uma concentração mais alta de enzima e isso influencia diretamente no resultado, a lactase é medida pela unidade FCC ALU, então temos 1.875, 9.000 e 10.000 FCC ALU, essas são as opções mais comum.

Como a medicina vem aumentando gradativamente e ampliando as pesquisas nestas área, juntamente com a indústria farmacêutica o intolerante a lactose hoje sofre bem menos.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on twitter
Twitter

Deixe um comentário